Oportunidades

Como importar material de pesca

Aprenda nesse guia como importar artigos de pesca e quais os principais aspectos nessa operação

Redação Gainholder 08 Out 2020 • 6 minutos
Como importar material de pesca

CENÁRIO: O Brasil possui enorme reconhecimento por um diferencial natural da diversidade de fauna e flora. Nosso país consta com lagos, rios e praias em grande volume sendo um ambiente perfeito para a exploração da pesca profissional ou desportiva. Entretanto mesmo com a riqueza hídrica esse segmento não possui organização e estatísticas. É notório da sua importância para geração de renda para famílias ribeirinhas, e ainda, uma indústria pesqueira que está ganhando espaço nacional e internacional.

A exploração desportiva possui seus fies praticantes e estimula ao surgimento de lojas especializadas.

NA PRÁTICA: Este segmento requer um conhecimento para selecionar os equipamentos e utensílios desejáveis para serem importados. Cada produto possui uma aplicação específica, e equivocar-se na construção do enxoval de produtos pode exigir o envolvimento de pessoas especializadas e conhecedores de marcas e seus diferenciais. Alguns exemplos de produtos nesse segmento que podem ser importados são:

  1. Carretilhas
  2. Varas de pesca
  3. Molinetes
  4. Iscas artificiais
  5. Anzois
  6. Linhas de monofilamento, multifilamento e fluorcarbono
  7. Acessórios de pesca em geral

Os principais mercados fabricantes são a China, USA e Japão. Outros países podem até sediar marcas renomadas, porém seus custos elevados acabam reduzindo sua viabilidade. Com a seleção dos produtos é necessário realizar a classificação dos produtos, e isso pode ser identificado através da Nota Fiscal de compra dos produtos no campo NCM. Esta classificação de 8 dígitos direcionará qual a carga tributária, tratamentos administrativos e ações regulatórias que possam se aplicar ao produto. A classificação, bem como as implicações sobre cada NCM a Gainholder possui em suas soluções.

Neste momento é necessário avaliar quais são os produtos em escala com maior grau de complexidade para serem importados. Para os iniciantes prefira produtos sem complexidade regulatória ou que não possuam expressão de demanda de compra. Itens baratos não querem usualmente dizer que são vendáveis.

Importar artigos de pescaria
Exemplos de itens de pesca que podem ser importadas

A PESQUISA

O próximo ponto é a pesquisa de mercado internacional para encontrar um ou mais fornecedores. Para que não se tenha perda de foco seguem algumas dicas:

a) INICIANTES: A pesquisa deve ser concentrada na CHINA. O seu interesse para o momento é poder ter uma linha de produtos completa para que o cliente encontre o que procura na sua empresa e ainda tenha preço competitivo.

b) EXPERIENTES: Sua demanda é encontrar novos produtos renovando ou ampliando sua linha ou busca de marcas profissionais. Nestes casos é fundamental construir com seu fornecedor a sua expectativa de receber novidades ou novas marcas que estão tendo destaque internacional.

A pesquisa sempre deve ser conduzida por uma empresa especializada principalmente para perfis iniciantes. A pesquisa da Gainholder é desenvolvida em 2 etapas. A primeira são questões técnicas, ou seja, tudo que cerne a especificidade ou prerrogativas estabelecidas pelo cliente. A segunda é a Comercial que cerca todos os aspectos relevantes da negociação, garantia, prazos de entrega e pagamentos, dentro outros fatores.

INSPEÇÃO DE EMBARQUE

Como no Brasil requer cuidados para adquirir produtos de uma empresa desconhecida no mercado internacional não difere. A Inspeção resguarda que seu investimento está sendo aplicado ao fornecedor correto. A nível da inspeção varia em acordo com o produto e grau exigência apresentado pelo cliente.

a) Quantitativo – Conferência parcial (Amostragem) ou Total sobre o produto a ser embarcado. (número de itens por caixa, número de caixas, etc).

b) Qualitativo – Conferência do acabamento, medições, laboratorial, etc.

A Gainholder realiza a Inspeção.

PLANEJAMENTO DA IMPORTAÇÃO

Esta é a principal atividade a ser desenvolvida. Através dela é possível identificar todos os custos envolvidos na operação da mercadoria, frete internacionais, despesas aeroportuárias, custas e impostos. Todavia, não só pode o cliente avaliar a importação por uma planilha. É fundamental se atentar que a mercadoria está outro país e existem fatores alheios que não estão registrados em números, o conceito da Operacionalização. A operação merece toda a atenção pois através dela é que se consegue executar ou não os custos planejados. Confira algumas pontos analisados:

a) A embalagem padrão suporta a logística internacional mantendo a integridade do produto até o destino final?

b) O produto possui exigência de ação regulatória por parte de algum órgão anuente?

c) A carga precisa ter uma Licença de Importação deferida antes ou depois do embarque?

d) A liberação alfandegária requer documentos complementares para ser conclusa.

Essas são algumas das análises operacionais, e são vitais para evitar que a mercadoria chegue no Brasil porém esteja impedida de ser liberada até o cumprimento ou adequação das exigências da Receita Federal e/ou órgão anuente.

A OPERAÇÃO

A operação é para algumas empresas importadoras o calcanhar de Aquiles. Pela razão de economia empresas buscam realizar a atividade de operacionalizar a importação. Como qualquer atividade especializada quando realizada fora padrões exigidos a empresa terá que administrar prejuízos. A Gainholder oferece a uma solução normatizada pela Receita Federal que chamada importação na modalidade de Conta e Ordem. Essa operação nada mais é que um serviço prestado no gerenciamento e operacionalização da importação. A Gainholder passa ser a responsável por todo o processo aliviando todo e qualquer incomodo ao cliente.

Vale lembrar que a importação em si toma tempo e exige a atenção de vários departamento da empresa, e nem sempre estes profissionais estão disponíveis ou existem dentro da empresa.

EMPREENDORISMO

O ato de empreender é uma arte individual com uma sensibilidade apurada para oportunidades. Caso este artigo tenha despertado um centelha na sua visão de negócio alimente seu objetivo com uma empresa que possui experiência para fazer sua empresa se tornar uma máquina de venda através do Comercio Exterior.



Comparativo itens de pesca no Brasil x Itens de pesca importados

Abaixo fizemos um comparativo do custo de alguns artigos de pescaria vendidos no Brasil vs análogos produzidos em outros países.
*O preço internacional foi colocado em dólares
*Essa é apenas uma estimativa, é preciso acrescer ao valor do produto fabricado no exterior o custo de importação e nacionalização
***O preço pode sofrer variações após a publicação desse guia

Material de pesca Preço Brasil (Real) Preço Importado (Dólar)
Carretilha R$103 US$5.30
Molinete R$109 US$4.16
Isca artificial R$8 US$0.25
Linha monofilamento 150 R$58 US$0.39


Dúvidas frequentes

🐟 É preciso certificação de algum órgão anuente para importar itens de pesca?

Em muitos casos não. Tudo depende do produto, a maior parte dos produtos de pesca hoje não exige a certificação de nenhum órgão anuente.

🎣 Posso importar qualquer tipo de material de pesca?

Sim. Sim! Anzol, linha, rede, vara de pescar, carretilha, cooler, sonar e muito mais.

💵 Qual a porcentagem do imposto de importação?

Para definir a alíquota de imposto é preciso antes classificar o NCM do item de pesca a ser importado, este código irá fornecer a % incidente.
Comentários
.