Oportunidades

Como importar utensílios domésticos

Aprenda nesse guia como importar utensílios domésticos e quais os principais aspectos nessa operação

Redação Gainholder 02 Jul 2020 • 4 minutos
Como importar utensílios domésticos

CENÁRIO: Um dos setores mais promissores da economia é o de utensílios domésticos, que por sinal, apresenta um crescimento constante devido ao COVID-19 que vem mantendo as pessoas em casa e, consequentemente, aumentando o investimento em conforto e artigos domiciliares.

Vamos aos números do setor: no Brasil, são mais de 20mil unidades produtoras, e mais de 25 bilhões de reais em produção. 1.2 bilhões de dólares em importações, 954 milhões de dólares em exportação, e 62 bilhões de reais em vendas [dados fornecidos pela ABCASA]. Tais dados demonstram o quanto este segmento é forte e sólido.

NA PRÁTICA: A importação de produtos domésticos não tem grandes empecilhos. O diferencial está em realmente encontrar produtos que encantam pelo seu design, usabilidade, praticidade ou preço. A variedade de produtos é absolutamente grande, difícil inclusive de quantificar o número de artigos e itens dentro do segmento.

A China, mais uma vez, tem um papel de destaque na fabricação. A qualidade dos produtos chineses é reconhecida por uma abrangência que parte do varejo de R$ 1,99 até produtos altamente sofisticados de maior valor agregado.

Não obstante, alguns aspectos não podem ser deixados de lado numa empreitada de importação. A primeira dica é saber comprar: não cair na tentação de trazer um mix de produto muito extenso e variado. Por exemplo: os potes com tampa – muito bem quisto mundialmente – o recomendado seria adquirir e vender a família completa dos potes com seus tamanhos, e não se equivocar em trazer tamanho variados individualmente.

Importação de utensílios domésticos
Exemplos de alguns utensílios domésticos que podem ser importados

Outro ponto é que estes produtos são fabricados em escalas muito grandes, até milhares ao dia. Logo, é importante ter um fabricante de confiança do que tange à “taxa de recall”. Para quem ainda não está familiarizado com o termo, taxa de recall é o percentual sobre 100, 1.000 ou 1.000.000, que pode apresentar defeito. Nenhum processo é infalível, e essa informação é praxe no mercado para informar a proporção de perda. As taxas de recall hoje, ficam entre 1% a 3%.

A composição do produto também é outro fator muito importante. Levando em consideração que a maioria dos itens são voltados para contato com alimentos, é importante saber se a composição está em conformidade com as normas brasileiras. Um exemplo de um componente proibido para utensílios domésticos que entram em contato com alimento é o BPA (Bisfenol A).

Existem, ainda, itens que podem ter mecanismos eletrônicos. Nesses casos em especial, podem ainda haver exigência de certificação junto ao Inmetro. É importante já buscar fornecedores capazes de atender pelo menos parcialmente as normas brasileiras. É possível que uma fábrica chinesa de eletrodomésticos ainda não tenha seu produto certificado no Inmetro por uma empresa brasileira, mas nesse caso, o importador já poderá exigir que o cabo e a tomada, por exemplo, sejam fornecidos por fornecedores já homologados, ou seja, fornecedores que já estão compatíveis ao nosso mercado. Dessa forma, é possível adiantar boa parte do processo.

Outra dica importante, é redobrar a atenção à replicas de marcas famosas. Várias dessas marcas já estão protegidas por patentes, portanto, cabe a verificação para que não aconteça nenhum tipo de fraude. As fábricas chinesas, inclusive, são muito flexíveis a colocar sua marca nos produtos. Dessa forma, vale uma boa negociação para encontrar um volume ideal de fabricação que atenda ambos os lados.

Como vimos, a importação requer atenção sobre o tratamento administrativo, por isso, é importante consultar empresas especializadas no processo, como a Gainholder, para que isso ocorra de forma fluida, correta e otimizada. Abaixo, trouxemos alguns cases que retratam algumas de nossas experiências nesse setor:

Ainda está em dúvida sobre esse segmento? Importe utensílios domésticos e muitos outros produtos com a Gainholder. Esse é um mercado extremamente lucrativo, não deixe sua empresa de fora. Entre em contato conosco e entenda como podemos te ajudar a importar



Cases de clientes da Gainholder - Importação de utensílios domésticos

CASE 1: Um restaurante paranaense, cujo nome vamos ocultar por questões de confidencialidade, veio até a Gainholder com a demanda para importar pratos de melamina em larga escala. Iniciamos o processo com a coleta das exigências e especificações do cliente: como design, impressão da marca no prato, resistência a impactos e lavagem em alta temperatura.

Passada essa fase, realizamos uma pesquisa de mercado e encontramos fornecedores potenciais para atender as prerrogativas. Avançamos com a inspeção desses fornecedores, e com a importação das amostras. Tais amostras foram aprovadas rapidamente e o cliente colocou o pedido para importar uma grande quantidade de pratos.

CASE 2: Um grande atacado, também com seu nome em sigilo, de utensílios domésticos e objetos de decoração, entrou em contato com a Gainholder com a intenção de interromper a revenda de linhas nacionais já então saturadas no mercado. O desafio era grande e claro: trazer produtos tendência no mercado internacional que fossem então viralizar no Brasil. De início, fizemos um estudo das tendências do mercado americano – devido ao seu grande apelo comercial de consumo. A direção para esse mercado não deu certo – pois o cliente buscava por produtos com baixo ticket médio de venda – e os produtos americanos e europeus focam em diferenciais de design e componentes de alta qualidade. As condições direcionavam novamente à China, onde por fim, acabamos encontrando linhas diferenciadas, com forte apelo de consumo, e no preço desejado que o cliente estava disposto a pagar. Iniciamos as importações e o produto teve seu estoque reabastecido e renovado rapidamente.

Comentários
.